top of page

Aspectos relevantes na escolha do Fertilizante Foliar

Circular Técnica - Terrena (2/2024)

 


Introdução

A adubação foliar deve ser considerada uma técnica complementar de um programa de adubação. Sua utilização deve ocorrer visando o estímulo da planta, em períodos pontuais de crescimento, em momentos de demanda específica de algum nutriente ou, em casos de situações adversas do solo que comprometam a nutrição mineral das plantas (NACHTIGALL & NAVA, 2010). Dessa forma, a adubação foliar é um procedimento utilizado para satisfazer as necessidades de nutrientes pelas plantas, aumentar os rendimentos e melhorar a qualidade da produção.

No entanto, é importante notar que a adubação foliar deve ser feita com cuidado para evitar a aplicação excessiva de nutrientes, o que pode levar à fitotoxidez. Além disso, a escolha dos nutrientes e a formulação adequada do fertilizante foliar deve ser baseada em análises de solo e tecido foliar para garantir que as necessidades específicas da planta sejam atendidas.


Velocidade de absorção e a função dos nutrientes na planta

A Tabela 1 proporciona uma visão abrangente da velocidade de absorção de nutrientes pela folha, destacando que esses valores são significativamente influenciados por diversos fatores, tais como a espécie da planta e os elementos que estão associados a esse nutriente (sejam agentes quelantes, estruturas orgânicas ou outros). Essa variação pode resultar em tempos de absorção distintos, indo de dias a horas, dependendo do nutriente específico (ROSOLEM, 2002).  solo e tecido foliar para garantir que as necessidades específicas da planta sejam atendidas.


Tabela 1: Velocidade média de absorção foliar de nutrientes.

Nutriente

Tempo para 50% de absorção

Nitrogênio

1 - 36 horas

Fósforo

16 horas - 15 dias

Potássio

10 horas - 4 dias

Cálcio

2 - 4 horas

Magnésio

10 - 24 horas

Enxofre

16 - 4 dias

Cloro

1 - 4 dias

Ferro

10 - 20 dias

Manganês

1 - 2 dias

Molibdênio

10 - 20 dias

Zinco

1 - 2 dias

Na nutrição foliar, os micronutrientes desempenham um papel destacado, visto que fatores como a quantidade demandada pela planta e a rapidez de resposta após a aplicação favorecem sua suplementação por meio das folhas. Nesse contexto, a Tabela 2 destaca as principais funções dos micronutrientes nas plantas, com o objetivo de salientar o uso e a importância desses elementos. A compreensão de seus papéis específicos na planta permite um refinamento nos posicionamentos relativos a esses micronutrientes.


Tabela 2: Micronutrientes e suas respectivas funções na planta.

Micronutriente

Função

Fe, Mn, Cu, Ni

Constituinte de enzimas

Mn, Zn

Ativação de enzimas

Fe, Cu, Mn, Cl

Envolvimento no transporte de elétrons na fotossíntese

Mn, Zn, Mo

Envolvimento na tolerância ao estresse

Cu, Mn, Zn, B

Envolvimento no crescimento reprodutivo

B, Zn

Constituinte de paredes celulares e membranas

A eficácia dos fertilizantes foliares é indiscutível, no entanto, a dúvida comum reside nos principais fatores a serem considerados na escolha dos fertilizantes disponíveis no mercado. Ao fazer essa seleção, é crucial atentar para diversos elementos, destacando-se:

  • Presença de formulações balanceadas (NPK): Além dos micronutrientes, fertilizantes com proporções equilibradas de nitrogênio (N), fósforo (P) e potássio (K) são vantajosos para promover o crescimento vegetativo, a floração e a frutificação.

  • Presença de formulações quelatizadas: Esses fertilizantes possuem micronutrientes ligados a agentes quelantes que ajudam a manter os nutrientes em uma forma solúvel e prontamente disponível para as plantas. Além disso, a quelatização dos nutrientes evita reação de incompatibilidade com demais insumos na mistura de tanque.

  • Presença de substâncias promotoras e estimulantes de raízes: Algumas formulações possuem hormônios de crescimento e nutrientes que estimulam o crescimento radicular. Isso pode ser vantajoso em situações de transplante ou para promover raízes saudáveis em plantas jovens.

  • Presença de compostos orgânicos: Fertilizantes foliares orgânicos, que possuem compostos como ácidos húmicos e ácidos fúlvicos, podem aumentar a atividade microbiana e ajudar na absorção de nutrientes. Além disso, eles podem fornecer uma fonte sustentável de nutrientes para as plantas.

  • Presença de outros aditivos: Emulsificantes, surfactantes, e espalhantes adesivos são frequentemente adicionados para garantir que a solução de pulverização possa aderir às folhas das plantas e sejam uniformemente distribuídas.

  • Presença de bioestimulantes: Produtos bioestimulantes ou biofertilizantes contendo extrato de algas vêm ganhando cada vez mais espaço na agricultura, esses compostos possuem a capacidade de estimular respostas das plantas a doenças e estresse abióticos.

Ao levar em conta esses fatores, os agricultores podem otimizar o uso de fertilizantes foliares, promovendo um crescimento saudável das plantas e melhorando a eficiência nutricional.


Fatores que afetam a absorção da nutrição foliar:

A absorção do fertilizante foliar pode ser influenciada por diversos fatores (Tabela 3) inerentes às plantas, aos nutrientes a serem aplicados, aos fatores externos (clima, umidade, entre outros), às soluções utilizadas e a fatores externos (NACHTIGALL & NAVA, 2010).


Tabela 3. Fatores que influenciam na eficiência da adubação foliar.

Fatores relacionados à planta

Fatores relacionados ao ambiente

Fatores relacionados à solução a ser aplicada

Tipos de cera

Temperatura

Concentração

Idade da folha

Luz

Dose de fertilizante

Estômatos

Fotoperíodo

Técnicas de aplicação

Células-guardas

Vento

Agentes umectantes

Presença de tricomas

Umidade

pH

Superfícies superior e inferior da folha

Seca

Higroscopicidade

Turgidez da folha

Hora do dia

Compostos utilizados

Umidade sobre a folha

Potencial osmótico do meio que banha as raízes

Propriedades de aderência da folha

Estado nutricional da folha

Período de déficit de nutrientes

Açúcares

Cultivar

 

Equilíbrio nutricional

Estados Fenológicos

 

Umectantes e outras substâncias


Conclusão

A utilização de fertilizante foliar se revela uma estratégia valiosa na agricultura devido aos diversos benefícios que proporciona às plantas. A aplicação foliar não apenas estimula a planta a aumentar sua eficiência de absorção pelo solo, mas também desempenha um papel crucial em situações críticas, como preparar ou recuperar a planta antes ou após eventos de estresse. Essa abordagem direcionada oferece flexibilidade na aplicação de nutrientes, sendo particularmente vantajosa em momentos-chave do ciclo de crescimento. Portanto, ao escolher fertilizantes foliares adequados e seguindo práticas agrícolas sustentáveis, os agricultores podem colher benefícios significativos, como melhorias na saúde da planta, aumento da produtividade e aprimoramento da qualidade da colheita, contribuindo assim para o sucesso geral do cultivo.







 
Referencial bibliográfico:
NACHTIGALL, G. R.; NAVA, G. Adubação foliar: fatos e mitos. 2010.
ROSOLEM, C. A. (2002). Recomendação e aplicação de nutrientes via foliar. Lavras, UFLA/FAEPE, 99.

VITTI,G. C, et al. Desafios da fertilidade do solo na região do cerrado. III simpósio, Goiânia 2018.
 

Colaboração:
João Victor Paixão e Athison Caio Machado

Revisão:
Maila Adriely Silva
17 visualizações0 comentário

Comentários


bottom of page